quinta-feira, setembro 29, 2005

Lambreta

Gosto de pegar na lambreta e fazer-me à estrada. Trato-a bem, mantenho uns risquitos aqui e ali só para me lembrar que sou um gajo de sorte. Já senti o asfalto, o quente e o cheiro mas, como diz o Mário, nasci encardido em mijo. Sim, porque cá na terra só "tem mijo” quem experimenta a sorte e eu nunca me acanhei com ela! A Etelvina é a outra, nem sei se é sorte, o Mário que o diga...



A lambreta é um transporte familiar; leva-me a mim e ainda sobra um lugar